Esta Semana

23 jun
"Vermelha"Duas séries de trabalhos em diálogo, datados de 2006 e 2016, dois ...
24 ago
Diálogos iconográficos é uma exposição que pretende mostrar as múltiplas ...
21 set
No próximo dia 21 de Setembro, Cascais assumirá o compromisso público com os ...

Temas

+ Votados

Parque Urbano Quinta de Rana


Nov. a Mar.8h30 - 17h45
Abril a Out.8h30 - 19h45

Gratuíto

Parque Urbano Quinta de Rana Rua Feliciano Moreira
Quinta de Rana

O Parque Urbano Quinta de Rana desenvolve-se sobre dois hectares, que inclui parte da antiga quinta e uma área adjacente a nascente, provavelmente antiga zona agrícola afeta à própria quinta.

O parque resulta da recuperação deste património arquitetónico do concelho, patente no que resta de uma estrutura de quinta de recreio, ainda com a componente agrícola bem marcada pelo sistema de irrigação e aproveitamento da água.

De cariz bem diferenciado, o espaço murado e interior da quinta reflete uma organização espacial rígida baseada na métrica dos canteiros, muros de suporte, aquedutos elevados, tanques e canais de rega. Estruturantes são também os eixos definidos pela linha de drenagem central, caminhos que envolvem os canteiros e os muros elevados. Na área adjacente o espaço é amplo e sem referências que lhe confiram ou condicionem um programa específico.

O projeto arquitetónico pretende desenvolver e explorar as características intrínsecas do lugar, valorizando o património, as referências históricas, a água como elemento dominante e a alternância de ambientes espaço fechado/aberto.

A proposta prima por recuperar o que for possível do património histórico e cultural, e em recriar de uma forma contemporânea estruturas que, embora se perceba o uso e função, estão destruídas e incapazes de cumprir com o objetivo que lhes foi em tempos atribuído.

A área adjacente servirá de apoio ao futuro equipamento escolar, e assume-se como um amplo espaço aberto de recreio, contemplando zonas de prado, relvado e parque infantil.

Integra também uma cafetaria, de forma a criar uma dinâmica de utilização e suporte à visitação, necessária para dar envolvência e despertar o interesse pelo usufruto dos espaços naturais.

Em ambas as áreas a intervenção pretende ser minimalista e valorizar as estruturas de condução das águas e a sua função. Utilizar a água como elemento unificador do espaço, percorrendo-o desde os aquedutos e sistema complexo de caleiras até chegar a uma linha mais naturalizada que alimenta o espelho de água da cafetaria.

Borboletário
Integrado no local está também o Borboletário, um equipamento destinado a visitas guiadas ou livres, utilizado como local de estudo das borboletas nos seus vários estados de desenvolvimento, a preservação das espécies e a educação ambiental. O espaço destaca-se visualmente por ser uma estrutura única que remete visualmente para a imagem de um casulo em fase de metamorfose. Neste espaço coexistirão diferentes espécies de lepidópteros, inclusive de diferentes regiões do país.

Salienta-se, por fim, que esta intervenção pretende constituir uma unidade, sustentada pelas soluções conceptuais adotadas, na racionalização das técnicas construtivas e por último, pelos materiais inertes e vegetais selecionados.


Pesquisar na agenda

Cascais Digital

banner_cascais_0banner_cascaisambiente_0banner_cascaisparticipa_0banner_cascaisjovem_0banner_cascalitosbanner_lojacascaisbanner_bairromuseus_0banner_geocascaisbanner_agendacascaisbanner_fixcascais