Está aqui

Cascais tem posto avançado para recolha de óleo alimentar usado

Cascais tem em Trajouce, um dos dois primeiros coletores avançados de óleo alimentar usado. Uma solução criada pela Prio em parceria com a Hard Level, que se constitui como alternativa à deposição higiénica deste tipo de resíduo. A qualquer hora, 24 horas por dia, todos os dias do ano, é possível depositar as embalagens cheias, e receber em troca uma embalagem nova e higienizada sem qualquer intervenção humana.
Os dois primeiros postos a nível nacional foram instalados simultaneamente em Trajouce e Vila Nova de Gaia, mas a gasolineira pretende instalar mais de 600 oleões até 2020, para “contribuir para o ambiente, mas também para a economia circular”, adianta Luís Martins, da Prio. “Somos o maior exportador nacional de biocombustíveis, e temos recolhido anualmente cerca de 50.000 metros cúbicos de óleos usados”, esclarece.
 
Com esta solução, o público passa a ter acesso a uma nova opção limpa para descartar o óleo alimentar usado contribuindo para que mais pessoas possam ajudar a reciclar este resíduo altamente poluente. 
 
“Desde 2012 até agora, numa média anual de 40.000 litros deixaram de ir para o esgoto e começaram a ser aproveitados. Ainda é muito pouco em relação áquilo que se pode vir a aproveitar”, destaca Carlos Carreiras, presidente da Câmara Municipal de Cascais, presente na apresentação pública do novo equipamento. “Hoje temos que ter cada vez mais preocupações sobre como reaproveitamos recursos e este é um belíssimo exemplo de como é que se reaproveita um recurso que para nós já não tem valor”, acrescenta o autarca.
 
Ao colocar o novo oleão num posto de abastecimentos de combustíveis pretende-se aproveitar a deslocação para abastecer a viatura, ou a simples passagem de carro numa das estradas mais movimentadas do concelho (a EN 249-4), para “incentivar a recolha do óleo alimentar usado do setor doméstico”, como explica Cátia Barbosa, da Hard Level, empresa de reciclagem e valorização de resíduos. “Pretendemos que a população disponha de um vasilhame ergonómico que possa ter em casa e que facilite o manuseamento do resíduo”, acrescenta. Depois é só depositar o vasilhame na máquina instalada no posto Prio de Trajouce e receber em troca outro devidamente higienizado para futuras utilizações.
 
De cor verde e formato triangular, a embalagem de 1,2 litros que, garante o responsável, “será gratuita pelo menos nos próximos três anos”, pode ser obtida no posto Prio de Trajouce. Basta levá-la para casa, enchê-la de acordo com as necessidades de descartar óleo alimentar usado e trazê-la de volta. A máquina onde é colocada valida e recolhe a embalagem, devolvendo um novo recipiente limpo para permitir que a deposição de óleo usado se torne num hábito. Além disso, sempre que atinge 80% da sua capacidade (200 recipientes), o oleão emite um alerta para desencadear a recolha das unidades.
 
Recordando que “os munícipes de Cascais já demonstraram ter uma grande sensibilidade ambiental e uma grande vontade e atitude de contribuírem para um melhor ambiente”, o autarca deixou o repto: “só temos que arranjar maneira de ter mais pontos como este, muito limpos”.
 
Em 2017, a Prio espera instalar 50 oleões avançados e 50 tradicionais em todo o país. Em 2018 "haverá um aumento considerável" com 150 unidades de recolha avançadas e 150 tradicionais. Os anos de 2019 e 2020 já serão exclusivamente dedicados às unidades avançadas, com a instalação de 200 por ano. "Temos por objetivo para 2020 recolher 20 milhões de litros de óleos usados por ano, cerca de dois litros de óleo por cada português", apontou Pedro Morais Leitão, diretor-geral da Prio.
 

Sugerimos também

Cascais Digital

banner_cascais_0banner_cascaisambiente_0banner_cascaisparticipa_0banner_cascaisjovem_0banner_cascalitosbanner_lojacascaisbanner_bairromuseus_0banner_geocascaisbanner_agendacascaisbanner_fixcascais